Sobre

image

(Por Alfredo Manhães)

Música pode ser definida como “a arte dos sons”. Embora possamos ouvi-la em sua forma natural, é muito comum utilizarmos fontes de sinal analógicas ou digitais para esta função, como é o caso dos LPs, CDs, broadcast, arquivos em computadores etc. Comparando-se a audição da música ao vivo com a gravada, devemos levar em conta que a primeira forma será influenciada, dentre outros aspectos, pelas características da sala de audição, pelo posicionamento e afinação dos instrumentos e vozes, e pela sensibilidade auditiva do ouvinte.

Já a música gravada, além do exposto, também depende enormemente da qualidade dos microfones e captadores, cabos, mesas de gravação, masterização, prensagem da mídia, características dos dispositivos utilizados na reprodução, posicionamento de alto-falantes e mais um sem número de etapas e procedimentos que irão influenciar sobremaneira no resultado final. E a hora da verdade se dá quando ligamos nossos equipamentos de som, selecionamos a mídia e o programa a ser reproduzido, acionamos algumas teclas e botões e esperamos pelo que sairá em nossas caixas acústicas. E aí refletimos sobre o investimento realizado, ou seja, se compensou ou não!   

Em áudio, menos (gasto) pode ser mais (resultado) e tudo depende de se fazer a escolha certa. Há quatro décadas revistas como Antenna e Somtrês tiveram a iniciativa de trazer ao público brasileiro informações preciosas sobre equipamentos nacionais e estrangeiros, com o intuito de orientar as pessoas na aquisição de sistemas de áudio com custo/benefício atraente e que propiciassem satisfação na audição de música gravada. O mesmo se aplica às publicações estrangeiras como Stereo Review, HiFi Choice, Audio, Son, além de muitas outras.

Mas mudanças no cenário econômico, tecnológico e comportamental em todo o mundo, nas últimas três décadas, acabaram por impactar o mercado do áudio e da música de forma intensa. Consagrados fabricantes de equipamentos de som faliram, lojas de discos e de equipamentos fecharam suas portas, assim como publicações do segmento encerraram atividades. A convergência tecnológica levou a música a ser “adquirida” via download na internet e consumida em celulares e computadores pessoais.

É dentro deste espírito de resgatar um pouco dos velhos tempos que a revista online SomShow Magazine modestamente pede licença e se apresenta ao internauta entusiasta de áudio e música, iniciando sua trajetória com intenções similares às antigas publicações citadas mas adaptada ao cenário atual e valorizando bastante as experiências do passado.

O objetivo deste singelo trabalho é ajudar as pessoas a ouvirem boa música, gastando o mínimo e aproveitando o máximo de nossos pupilos eletrônicos, sejam eles novos ou antigos, transistorizados ou valvulados, manufaturados ou produzidos artesanalmente.

Fique com a gente!

Atenção: é proibida a reprodução total ou parcial das matérias publicadas neste site,por qualquer meio,  sem autorização prévia do proprietário. Respeite o direito autoral!

speaker

8 Comments on Sobre

  1. Alfred,

    Parabéns e sucesso.

    Sugiro publicar matéria sobre as bandas dos anos 80 (Simple Minds, Talking Heads, The Smith, Depeche Mode, INXS, Simply Red e outras).

    Abraço

    • Olá Ricardo, agradeço a visita e as sugestões. Em breve essas e outras bandas estarão presentes aqui no site. Forte abraço!

    • Olá Marcos, agradeço as palavras de apoio. Legal ter a turma da Somtrês como parte dessa iniciativa. Forte abraço!

  2. Alfredo,

    Parabéns pela iniciativa. O conteúdo do site está bem variado e de alta qualidade. Continue com o belo trabalho!

    João Pedro

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


Você é um humano ou robô? *